PortuguêsFrançaisEnglish
Principal arrow Arte e Cultura arrow Costumes
Costumes Imprimir E-mail

 

 

DESIGNAÇÃO: MWANA MPWEVO

DESCRIPÇÃO: Máscara feita em madeira, representando figura feminina, utilizada em cerimônias ligadas aos ritos da puberdade e a outras cerimônias sociais.

ORIGEM: Ovingangela

FUNÇÃO: Animadora de cerimónias

MATÉRIA: Madeira e Fibras

DIMENSÕES: 30cm x 25cm

 

A peça Mwana Mpwevo, é feita em madeira e fibras vegetais representando a beleza da mulher Ngangela. Ela retratada de forma ousada, os pormenores dos elementos que  integram o conceito de beleza feminina no imaginário dos Ngangela. É sempre usada por um homem, em cerimônias sociais ou rituais.

A face em madeira tratada, banhada em sucos vegetais avermelhados, e o toucado elaborado  a partir de fibras vegetais.

A máscara Mwana Mpwevo actualiza o papel determinante da mulher com base no regime matriarcado.

É muito apreciada na comunidade, pelo que não admira o pormenor do seu embelezamento e o naturalismo de suas feições. De realçar o realismo inerente às tatuagens, particularidade muito apreciada na beleza da mulher Ngangela.

O toucado é feito com borbotos em fibras vegetais empapados em argila vermelha. De trás de toucados e na base da máscara aparece rede que se liga ao fato do bailarino.

 

 

 

DESIGNAÇÃO: MBUNDA

DESCRIPÇÃO: Máscara com a função de dispor bem. Feita em fibras vegetais, varas, missangas, alfinetes e botões.

ORIGEM: Ovingangela

FUNÇÃO: Cria buo disposição entre os participantes em cerimônias rituais e sociais.

MATÉRIA: Fibras vegetais, troncos, missangas, alfinetes de latão e botões.

DIMENSÕES: 50,5cm x 20cm

 

A máscara Mbunda está presente nas cerimônias mais diversas (rituais da puberdade, casamento, nascimento, entronização), e tem como função primeira criar um ambiente hilariante entre os circundantes. O gesto do bailarino recai principalmente na exibição de movimentos eróticos, utilizando muitas vezes acessórios para propositadamente provocarem momentos de feição cômica no evoluir da sua exibição.

Participa em cerimônias várias, fazendo peditórios a favor dos actores sociais intervenientes nas referidas cerimônias.

Também designada por Likisi ou Cinganji, é feita de fibras vegetais e ornamentada com partícula em argila, botões e alfinetes.

 

 

DESIGNAÇÃO: MUKIXI

DESCRIPÇÃO: Máscara pintada em preto e vermelho, ornada com fios de ráfia e uma saia em ráfia.

ORIGEM: Lunda Cokwe

FUNÇÃO: Rituais de circuncisão

MATÉRIA: Fios de ráfia

DIMENSÕES: 183 cm x  82cm

 

Existem tabus e interditos perfeitamente inalienáveis na Sociedade Cokwe. Um deles é muito inerente ao Mukixi, designação do radical Cikixikixi que significa monstro.  O Mukixi envolve um segredo só pertença dos homens.

 

Na cosmologia dos interditados o Mukixi é um ser com capacidades transcendentais e sobrenaturais, que desce à terra sempre que a comunidade necessita.

 

Quando os homens preparam a mascar, num lugar interdito a mulheres e a não circuncidados, dizem a todos quantos pertençam a classe dos interditados : Vamos partir o ovo para o Mukixi ressuscitar ou : Musene Mukixi Majumbuka, hoje o Mukixi vai ressuscitar.

 

O estatuto de ambigüidade que o Mukixi representa, é a actualizado pelas múltiplas formas de exteriorização que adopta. Ele pode surgir com forma de mulher, homem ou animal, mas o mascarado é sempre um homem. Enquanto investido de Mukixi, o mascarado adopta os mais variados disfarces para não ser reconhecido. Muda o timbre da voz, adopta entonação enfeminadas ou rugidos de animais de acordo com a figura que no momento está a representar.

 

O Mukixi dança ao som do Ngoma (batuque), em cerimônias sociais, políticas ou místicas.

Aparecem com relevância particular durante as cerimônias da Mukanda (ritos da puberdade).

 

 

DESIGNAÇÃO: NDEMBA

DESCRIPÇÃO: Máscara representando uma figura humana com gorro em mabeia ornada com barba de ráfia, pintada de preto e branco, vermelho, verde e azul.

ORIGEM: Província de Uíge

FUNÇÃO: Rituais Circuncisão

MATÉRIA: Madeira e Ráfia

DIMENSÕES: 87cm

 

Uma das características da escultura Bakongo é a sua representação policromática e expressão profundamente realista. A máscara Ndemba é uma das mais belas produções deste grupo sócio-cultural.

 

Utilizada em cerimônias rituais da circuncisão, ela tem como função testemunhar a transição dos circuncidados dum estádio de total ignorância para aquele dos indivíduos com estatuto socialmente reconhecido.

Como todas as máscaras utilizadas nos rituais , a Ndemba é o elemento intermediário entre o mundo dos vivos e o mundo dos espíritos.

 

Através da dança e da teatrização das cenas do quotidiano dos seus elementos. O seu uso é interdito as mulheres e aos não circuncidados sob o risco de morrerem, uma vez que quem se encontra nessa situação é considerado inferior, não gente, inculto, ignorante dos segredos da vida.

 

Ligada a parte superior da máscara (cabeça) existe um fato, elaborado de vegetais, designado genericamente por Nkisi Nkanda. A circuncisão no seio deste grupo social, pode acontecer por dois processos: Loongua ou Mahoodi.

 

No primeiro processo a criança do sexo masculino é internada no campo da circuncisão, Nkanda, onde permanece de seis a doze meses. Aí são-lhe ministrados os ensinamentos da vida quotidiana e da prática sexual.

 

No segundo cas, Mahoodi é um processo que revela bastante os traços de um convívio com processos mais modernizados . a idade em que a criança é submetida à operação é muito inferior e os pais podem intervir no curativo. Processo condenado nos meios tradicionais deste grupo social, invocando o perigo da fraca erecção, falta de virilidade e esterilidade.

 

 

DESIGNAÇÃO: MWANA PWO

DESCRIPÇÃO: Máscara madeira com cabeleira elaborada a partir de fibras vegetais, ornada com pregaria de latão e colar feito de frutos silvestres secos.

ORIGEM: Lunda Cokwe

FUNÇÃO: Rituais de Circuncisão

MATÉRIA: Madeira e fibras vegetais

DIMENSÕES: 38cm x 29cm x 35cm

 

Segundo Lévi-Strauss “ a cada tipo de máscara ligam-se mitos, que têm por fim explicar a sua origem lendária ou sobrenatural e fundamentar o seu papel no ritual, na econimia, na sociedade”.

Mwana Pwo, binômio de origem Cokwe, tem a seguinte estrutura conceptual:

 

Mwana: Filho(a)     Pwo: Mulher

 

Na sociedade tradicional Cokwe (matriarcal), é marcante e fundamental o nascimento de um filho mulher.

 

É a mulher que detém a primazia na sucessão de poder tradicional, desde que pertença à linhagem nobre.

 

Não admira que os Cokwe, sociedade criadora de belíssimas obras de arte na cultura material angolana, dediquem todo seu saber, na elaboração das máscaras. Mwana Pwo.

A Mwana Pwo actualiza muitos, referências histórico-lendárias na cosmologia e cosmogonia cokwe. Representa a beleza e autoridade feminina. De notar que a máscara nunca é usada por uma mulher, é um homem que assume na totalidade o papel de Mwana Pwo.

Esta máscara é notável pelo realismo do seu traço e pela fidelidade representada pelas tatuagens.

 

 

 

DESIGNAÇÃO: LIKISI-CINGANJI

DESCRIPÇÃO: Máscara feita em tecido, representando um animal, eventualmente um antílope.

ORIGEM: Ovingangela

FUNÇÃO: Incarnação sobrenatural

MATÉRIA: Tecido e fibras vegetais

DIMENSÕES: 82cm x 36cm

 

A máscara Likisi, representa uma figura zoomorfa, com a configuração de um antílope (Kakuhu), animal das xanas do sudeste angolano, belo e veloz, simbolizando a virilidade e a beleza masculinas.

Na organização social das comunidades, existem instituições cujos utentes não podem ser identificados. Quando se faz sentir o exercício da sua acção esses elementos surgem protegidos de máscaras com funções de reposição da ordem. Ela simboliza incarnação sobrenatural e atrai as benesses dos espíritos dos ancestrais.

A cabeça da máscara é elaborada em tecido claro, pintado a preto, o que lhe dá grande contraste. Na base apresenta um aglomerado de fibras vegetais que lhe concedem uma configuração particular.

 

 

 

 

 

 

 
CyberFix: levando o futuro até você.